charuto, cubano, cuba, tabaco, fazenda, tamanho, aroma, sabor, gosto, estilo, degustação, anilha, processo, folha, blunt, charuteira, dicas, bitola, acessórios, guilhotina, furador, cedro, folha de cedro, isqueiro, maçarico, cinzeiro, boveda, pavio, umidor
cartclosedowneyefacebookfilterheartinfo-barsinfo-cardinfo-packageinstagrammailmenunextprevioussearchsendtelephonetwitteruserwhatsappyoutube

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

 

VOCÊ SABE QUAIS OS DIFERENTES TIPOS E TAMANHOS DE CHARUTOS QUE EXISTEM? VENHA CONFERIR!

 

Quando pensamos em charuto, logo imaginamos a combinação perfeita de homens de ternos caros com um cubano em mãos, bem ao estilo de James Bond, mas você sabe do porque os charutos serem tão valorizados hoje em dia? Como degustar um charuto? Entenda isso e muito mais no nosso guia do charuto!

 

Homem fumando charuto.


 

 

A HISTÓRIA DO CHARUTO

 

Ainda não se tem dados sobre a sua real origem e provavelmente nunca saberemos quem foi o criador do charuto ou até mesmo o primeiro degustador de charutos do mundo, mas tudo o que podemos ter certeza, muito disso se dá aos relatos, é de que o cultivo da Nicotiana Tabacum se iniciou no continente americano, da província de Lucatã, pelos maias provenientes da América Central. 

Em uma relíquia encontrada no território da Guatemala e datada do século X, mostra um maia fumando folhas de fumo enroladas por um barbante, compactando as folhas do tabaco em formato de um cilindro. Porém essa determinação histórica não pode ser válida, pois a civilização maia já existia a mais de dois milênios, portanto se tornou impossível de se determinar a origem do charuto, por possivelmente fazer parte do habito deste povo.

Os nativos norte americanos fumavam em cachimbos como parte de celebrações espirituais. Nativos da América do Sul fumavam folhas de fumo moídas e envolvidas em folhas de vegetais; além dos astecas, que fumavam um caniço oco com tabaco preenchendo o seu interior. Vendo isso, o tabaco sempre foi utilizado para os mais diversos motivos através da história.

 

Processo de secagem da folha do tabaco.


 

 

POR QUE QUANDO PENSAMOS EM CHARUTOS, LOGO ASSOCIAMOS À CUBA?

 

O país é o que reúne as melhores condições climáticas e de solo para o plantio do tabaco, produzindo charutos que são considerado por muitos, como os melhores do mundo

Bandeira de Cuba.

 

Neste meio, os charutos são classificados primeiro pelo seu país de origem, depois pelo seu tamanho e espessura, chamado de calibre. Todo charuto autêntico é feito de forma manual e artesanal, tendo o seu interior constituído apenas de folhas de tabaco enroladas, diferente dos charutos que você mesmo pode fazer em casa com as folhas do blunt, preenchendo o interior com as ervas que desejar.

Os cubanos são também considerados puros porque, durante a sua confecção, são enroladas folhas de tabaco de apenas um único lugar, impossibilitando que folhas de mais de um lugar possam alterar o aroma e sabor do charuto.

 

Charutos em cima de café.


 

 

PARA COMEÇAR

 

Para você que está iniciando agora a sua vida com os charutos, é recomendado que comece pelos charutos mais leves, não pulando direto para o mais forte para que o seu pulmão se acostume com a fumaça e torne a degustação mais prazerosa e relaxante possível. 


 

 

DICAS

 

  • É importante saber que, quando escolhemos um charuto, devemos ter em mente a quantidade de tempo disponível que você irá dispor de seu dia para fumar o cubano pois, diferentemente do cigarro comum, o charuto quando aceso deve ser consumido até o fim na mesma hora. Se você apaga-lo para terminar de fuma-lo depois, o sabor da fumaça irá alterar, amargando com o tempo;
  • Uma curiosidade sobre os modelos de charutos é o fato de existirem dois tipos de bitolas encontradas no mercado, a normal (robusta) e o figurado, sendo uma com um formato pontudo, dando a forma de uma bala de fuzil ao charuto e outro sem ponta alguma, assemelhando o cubano a um cilindro perfeito.

 

Bitola robusta.

Bitola figurada.

 

  • Um charuto nunca deve ser guardado em uma gaveta de qualquer jeito! Eles devem ser armazenados dentro do umidor de cedro, onde irá controlar a umidade do charuto em torno de 70% e manter o controle da temperatura perto dos 20C°, mantendo as características únicas do aroma e sabor do seu charuto. 

 

 

TAMANHOS

 

O tamanho dos cubanos costumam seguir o padrão tradicional dos charutos "Corona" (As dimensões tradicionais deste charuto seguem o comprimento entre 5 ½ e 6 polegadas e calibre entre 42 e 44). Em geral, possuem o "pé" aberto para acende-lo e a "cabeça" fechada para corta-lo com a guilhotina.

Seus tamanhos (geralmente medidos em polegadas) podem variar de um charuto para outro, visto que as marcas geralmente seguirá um padrão, mas isso não será uma regra. Os formatos sempre estarão divididos entre os charutos "cilíndricos" e "não cilíndricos" (Onde um seguirá o formato de um rolo, enquanto que o outro modelo será mais variado, podendo chegar a se parecer com uma bala de fuzil, respectivamente).

Confira alguns dos diversos tamanhos e formatos do charuto na tabela:

Tabela de conversão de medidas:

 

Tabela de conversão de medidas.

Tabela para os tamanhos de cada charuto.


 

 

ACESSÓRIOS

 

  • Guilhotina: Uma pequena peça com duas lâminas (uma fixa e outra móvel) usada para cortar a ponta do charuto;

  • Furador: Pequena peça em formato de cilindro com uma lâmina na ponta para furar a ponta do charuto na falta da guilhotina. Mais indicado para aqueles que querem concentrar o seu sabor;

  • Cedro: Um pedaço de madeira que vem na caixa do charuto, mas que você pode comprar separadamente em uma tabacaria. Item essencial para acender o charuto da forma tradicional pois não transmite nenhum resíduo que possa alterar o sabor e aroma do cubano.

  • Maçarico: Semelhantes aos isqueiros, os maçaricos possuem uma chama mais potente, podendo ser regulada através de uma trava de segurança. Ideal, pois não transmite nenhum resíduo que possa alterar o sabor e aroma do charuto.

  • Charuteira: É o lugar ideal para se guardar o seu charuto, seja em casa ou para quando precisar sair de casa.

  • Blunt: É um papel próprio para você mesmo ter a experiência de criar o seu próprio charuto, com as ervas e o tabaco que desejar. São capas de charutos homogenizados em texturas, aromas e gostos diversos que se tornou popular através dos artistas de hip-hop que faziam os seus charutos recheando-os com "ervas exóticas".

  • Cinzeiro: Uma pequena peça, geralmente feita de porcelana, onde você deposita as cinzas do charuto ou de qualquer outro cigarro.

  • Boveda sachê: É um sachê umidificador que controlam a umidade dentro do umidor dos charutos, acrescentando ou subtraindo-a, estabilizando a umidade ideal por longos períodos. 

  • Pavio hornet hemp: Assim como o cedro, o pavio serve para acender o charuto sem o uso do gás para gerar a a chama. O cordão evita a inalação dos gases produzidos por isqueiros e até mesmo pelos fósforos na hora de acender o charuto, cigarro, etc. 

  • Umidor de cedro: É um comportador de charutos que, em conjunto com o sachê boveda, mantem a umidade ideal para preservar o charuto. O lugar ideal para você poder armazenar os cubanos em temperatura e umidade adequada, preservando seu aroma e sabor.


 

 

COMO DEGUSTAR?

 

De acordo com a tradição, o melhor momento para se degustar o seu charuto é quando você está mais relaxado, em uma ambiente tranquilo, com o charuto escolhido para o momento e com o melhor destilado para aproveitar a ocasião.  


 

 

TIPOS

 

Você sabia que os tipos de charutos podem ser divididos entre seus níveis de fortaleza? Quanto mais clara for a folha, mais suave será o charuto, quanto mais escuro, mais forte será. 

 

"QUAL A ESCALA DE FORÇA DE CADA CHARUTO?"

 

Para cada charuto há uma potência diferente, variando de acordo com a marca, textura, sabor, aroma e a folha do tabaco do mesmo, se dividindo em até cinco graus de sabor. Por isso, trouxemos os cinco exemplos de marcas charuteiras e sua potência em ordem crescente:

Suave, meio suave, médio, meio forte, forte:

 

Suave, meio suave, médio, meio forte, forte


 

 

COMO CORTAR?

Com a guilhotina em mãos, umedeça um pouco a ponta que será cortada, encaixe a guilhotina e corte sem hesitar para não desfazer a amarração do invólucro do charuto.


 

 

COMO ASCENDER?

 

Um fato interessante para quem está começando é de que, até o ato de acender o charuto é diferente de um cigarro comum. Claro, você pode utilizar a mesma forma de se acender um cigarro, com a sucção do ar dentro dele enquanto a chama do isqueiro queima a ponta do mesmo, mas neste guia iremos te apresentar as duas formas mais usadas e tradicionais  aceitas pelos degustadores dos cubanos.

"POR QUE NÃO UTILIZAR UM ISQUEIRO PARA ASCENDER?"

O combustível do isqueiro, principalmente os de fluído químico, podem alterar a essência do charuto, tornando o aroma e sabor do mesmo mais parecido com querosene e gasolina.  


 

 

AS DUAS FORMAS MAIS TRADICIONAIS DE SE ASCENDER O CHARUTO:

 

  • COM A FOLHA DE CEDRO​Você irá acender a ponta do cedro e, logo em seguida, posiciona-lo em 45º junto ao charuto, com este último em direção oposta ao cedro. A chama que irá se formar na folha de madeira, produzirá o calor necessário para esquentar a ponta do charuto, acendendo o mesmo apenas com o calor, nunca com a chama em contato direto. 

 

 

Após posiciona-los um abaixo do outro, faça movimentos circulares com o charuto em cima do calor da chama, para que a mesma não se concentre apenas em um ponto específico e queime proporcionalmente a ponta do charuto. 

Logo após queima-lo, é hora de oxigena-lo. Pegue o charuto e balance com o braço em movimentos circulares ou assopre a ponta queimada. Faça isso algumas vezes e, assim que houver fumaça constante, é hora de degustar o seu charuto!

OBS: Nunca puxe a chama para dentro do charuto. Fazer isso vai estragar ele, amargando-o precocemente. Nos EUA é muito comum a prática de acender desta forma, mas é apenas para "fazer show", você deixa de degusta-lo corretamente apenas para "imitar" aqueles filmes e desenhos antigos que demonstram a prática. 

 

 

Ele é a opção mais aceita para acender o charuto mas deve-se ter cuidado com a potência da sua chama para não queima-lo demais. Para acende-lo, mantenha o charuto em posição horizontal e mantenha uma distância do maçarico com ele para a chama, quando acesa, não carbura-lo. 

Acenda o maçarico e faça movimentos circulares na ponta do charuto para que o calor da chama pegue toda a extensão do diâmetro dele. 

Quando esquentar, oxigene-o balançando ele no ar ou assoprando.

OBS: Quando você for acender o charuto com algum isqueiro com gás, como o maçarico, é bom ter em mente que, pela queima ser com gás, é bom assoprar a bitola em seguida, antes da primeira tragada, para eliminar algum resíduo do gás que possa ter sobrado no interior do charuto.


 

 

Charutos ao lado de whisky.

 

 

OS DEZ MANDAMENTOS DOS CHARUTOS

 

E para fechar com chave de ouro este guia, citaremos os 10 mandamentos do charuto para todos os apreciadores que desejam aproveitar ao máximo o momento com o seu cubano!

 

 

1º - Em Busca do Charuto Prometido.

Encontrar charutos de boa procedência pode não ser uma tarefa fácil no Brasil, mas em lojas especializadas, os vendedores serão bem treinados e poderão te ajudar na escolha de charutos e acessórios para auxiliar na degustação.

 

 

2º - Aprendendo com a prática.

Caso você seja novo na área dos charutos, escolha charutos mais suaves e de curto tempo de queima. Como você está iniciando e ainda está testando os sabores, é bom charutos que sigam por essa linha para que você não se decepcione com a degustação.

 

 

3º - A boa escolha visual.

Na hora da compra, é muito bom observar cada charuto disponível nas prateleiras. Ele deve estar em boas condições na hora da seleção. Não podem estar com a sua capa danificada, rasgada, solta ou áspera demais. Na caixa completa, todas as anilhas devem estar na mesma posição e as capas em tom uniforme, sendo tolerável apenas uma sutil diferença.

 

 

4º - A boa escolha sensitiva.

Fique a vontade para sentir as texturas e aromas do charuto. Dê preferencias as capas mais lisas e uniformes! É importante sentir o charuto antes da compra pois, assim como o vinho, eles podem mudar o sabor dependendo de seu formato e da safra em que ele veio.

 

 

5º - Desfecho da compra sem receios.

Evite os charutos duros demais ou que apresentem saliências em seu corpo. Para detectar possíveis defeitos, segure o charuto entre os dedos polegar e o indicador, pressionando suavemente para sentir a oleosidade e textura da capa. Um charuto bem armazenado e de boa qualidade apresentará uma capa oleosa, de textura suave e um corpo levemente rígido. Diferente daqueles que não tiveram a mesma procedência, esses serão mais ressecados, com a capa áspera e corpo muito rígido.

Além desses toques para se observar, o aroma também será um ótimo indicador de qualidade. Mas nunca leve o charuto ao ouvido e pressione a base até estralar, isso pode danificar o charuto!

 

 

6º - O corte seguro.

Há duas formas de cortar o charuto, e essas mesmas formas podem modificar o processo da degustação. Você pode cortar (aumentando o fluxo da fumaça, não concentrando. Mais indicado para quem está iniciando) ou furar (Diminuindo o fluxo e aumentando a concentração da fumaça).

O corte/furo deve ser feito centímetros antes do acabamento da capa demarcado pela tampa, será uma área um pouco mais escura em relação a todo o corpo do charuto.

 

 

7º - O acendimento.

Quando você for acender o charuto, nunca utilize um isqueiro de fluido. Os isqueiros mais comuns geralmente possuem o fluido para alimentar a chama e isso pode alterar o aroma e sabor do charuto, principalmente se você acende-lo como um cigarro comum.

São recomendadas as folhas de cedro, pavios próprios para o charuto e fósforos compridos e de longo tempo de combustão para acender o charuto, mas você também poderá usar um isqueiro de gás butano, o mesmo gás dos maçaricos. Esses últimos, são famosos por queimar todo o gás com a chama, então você não vai estar inalando a substancia.

 

 

8º - A fumada inicial.

Um charuto deve ser apreciado a cada segundo. Então, para que seja prazeroso estes minutos que você passará fumando, acabam existindo diversos rituais para se aproveitar esse momento.

Quando estiver acendendo um charuto, procure não leva-lo a boca. A chama deve acende-lo antes que você puxe a fumaça para que o fogo não entre no charuto e cause uma queima desproporcional.

A chama deve estar próxima do charuto e queimar na direção das bordas ao miolo em sentido horário para evitar a queima em apenas um ponto.

 

 

9º - A degustação.

Os charutos podem ser classificados pelos mais diversos tipos de gostos e sabores, geralmente associados a condimentos, especiarias e frutas, sendo ótimos acompanhantes após o almoço e o jantar. E para tornar o momento mais prazeroso, bebidas como brandy, rum, uísque, vinho do Porto e licor podem servir como ótimos acompanhantes durante a degustação.

Tudo dependerá do seu gosto pessoal.

Os charutos mais fortes e incorporados poderão combinar com bebidas com características semelhantes, e vice-versa. Dê preferencia a bebidas destiladas para charutos mais fortes e fermentados (ou bebidas de baixo teor alcoólico) à charutos mais suaves e leves.

 

 

10º - A morte com honra.

Fumar o charuto além da anilha não é errado, mas a questão de retira-la ou não na hora de fumar ainda é uma questão. Marvin R. Shanken, editor-chefe da Cigar Aficionado, fuma seu charuto com a anilha. Para ele, retirar a anilha antes de fumar é como retirar o rótulo de um vinho antes de abri-lo.

Portanto, a escolha será sua se irá retira-la ou não antes de fumar.

Quando a fumaça do charuto começar a esquentar muito e a exalar um ressaibo (sabor ruim), é hora de coloca-lo no cinzeiro e deixa-lo apagar sozinho. Isso mesmo, no mundo dos apreciadores de charuto, a prática de deixa-lo apoiado no cinzeiro para apagar sozinho ao invés de apagar amassando-o é chamado de "morrer com dignidade".

E assim o nascimento e morte de um cigarro é eternizado, aproveitando todas as etapas de vida do mesmo com paixão e dignidade. Acesse a nossa loja para conferir os acessórios para os seus charutos e boas baforadas na sua degustação! 


 

 

DICIONÁRIO DO CHARUTO:

Anilhas: É o selo que envolve o charuto, é removível, mas muitos ainda preferem mante-lo para não manchar ou queimar os dedos enquanto estiver fumando. 

Filler: É o nome dado para as folhas de tabaco secas que compõem o interior do charuto.

Cepo: O aparelho utilizado para controlar o diâmetro do charuto e manter seu tamanho padrão.

Talo: É o filete da planta, encontrado no meio da folha.

Lâminas de cedro: Nas caixas de charuto, as folhas de cedro são utilizadas para cobrir as peças. Essas lâminas são extraídas pelas fibras da madeira.